“Todos os ambientes onde há procedimentos invasivos, que utilizam material perfuro-cortante devem seguir a norma da secretaria de saúde. (Vide normas da vigilância sanitária). A importância disto se dá pelo fato de que, durante a manipulação de material biológico, várias doenças podem ser transmitidas, tanto pela pessoa que se submete ao procedimento, quanto ao executor do mesmo. Procedimentos como o da tatuagem e piercing devem seguir rigores técnicos de anti-sepsia e descarte de materiais.
Doenças como a Hepatite B e C e a Aids podem ser transmitidas por apenas uma gota de sangue contaminado na ponta de uma agulha inadequadamente manipulada, sendo mais freqüentes, neste caso, as transmissões de Hepatite B e C, do que da AIDS.
As Hepatites B e C podem ser fatais ou tornarem-se doenças crônicas que levam à destruição progressiva do fígado, que se tornando cirrótico, acaba por levar à insuficiência hepática, cujo único tratamento é o transplante hepático, procedimento médico de grande risco e de custo muito elevado.
A melhor maneira de se evitar este tipo de contaminação, cada vez mais freqüente em nosso meio, visto pelo número cada vez mais alto de pessoas contaminadas por Hepatite B e C, provavelmente associado ao grande número de pessoas que ainda fazem a colocação de piercings e procedimentos de tatuagens em locais sem as devidas condições de higiene.
O que deve ficar claro é o seguinte: os procedimentos de tatuagem e piercing podem e devem ser feitos, sim, desde que sejam realizados em um ambiente em que o profissional siga as normas de higiene e anti-sepsia da vigilância sanitária. Para a segurança, tanto do executor da tatuagem e piercing, quanto da pessoa a ser tatuada ou perfurada, o profissional deve estar imunizado contra Hepatite B. A vacina já existente no Sistema Único de Saúde e está disponível para pessoas que lidam diretamente com fluidos corporais, mas o ideal seria que ambos, tatuador e cliente, estivessem imunizados.
Antes de se fazer uma tatuagem ou piercing, a pessoa deve procurar conhecer o local dos procedimentos e este deve se assemelhar a uma sala de cirurgia. Além a manter a higiene de seu local de trabalho, ao iniciar uma tatuagem o tatuador deve escovar as mãos, usar luvas cirúrgicas estéreis e descartáveis, óculos de proteção, vestir um capote, gorro e máscara estéreis ou descartáveis. O local a ser tatuado deve ser limpo com clorexidina degermante e alcoólica. Os excessos da tinta, durante o procedimento, devem ser retirados com gaze estéril. Após os intervalos, comuns em tatuagens grandes, todo o procedimento acima deve ser repetido. Mesmo aumentando o custo do procedimento, ele ainda será muito mais baixo do que as conseqüências de uma contaminação.”
Para falar com o Dr. Paulo Pinheiro, envie um e-mail para: pfmpinheiro@uol.com.br

Blog: studio13.blogspot.com

Twitter: @studio13_nit

msn: studio13tattoo@msn.com

Orkut: Studio 13 Tattoo